Santa Maria

Leaving São Miguel, and after travelling 52 nautical miles (about twenty minutes by plane) you will arrive at Santa Maria’s, international airport. Santa Maria is the third smallest island of the Azores and has a surface area of approximately 97 km2. Your first sensation will be a sense of peace and tranquillity, a sensation common to the Azorean Islands.

The landscape of Santa Maria presents a contrast between the flat plains on the western half of the island where the airport and the parishes of Vila do Porto, São Pedro and Almagreira are located, and the irregularity of the eastern half. The eastern side is home to the parishes of Santa Bárbara and Santo Espírito as well as the islands’ highest point, “Pico Alto”.
The climate is similar to the other eight islands, but as Santa Maria is the southern most island it is slightly drier and sunnier.
Of particular architectural interest are the white houses with their peculiar white chimneys, especially the round and lanky ones that rise from a truncated pyramid. These chimneys are decorated by a lacy finish revealing the Algarvian (Southern Portugal) origin of the first settlers.
Santa Maria was the first island discovered (1427) and later the first populated. Diogo Silves, a Portuguese navigator discovered the island and Frei Gonçalo Velho was the first governor.
The municipal seat is located in the parish of “Vila do Porto” which is divided in two distinct areas. The first, below the Matriz, maintains the primitive course of its roads, medieval in character, while the second, newer area above the Matriz expanded along a single long and spacious road.

Spread throughout the island are many interesting examples of the architectural heritage which mark the history of the island and the Azores. The principal attractions are:

– “Igreja da Nossa Senhora da Assunção” (Our Lady of Ascension Church), the mother church, whose construction began near the end of the 15th century;

– the Convent of Saint Francis which currently houses some public services, was founded in 1607, destroyed by pirates in 1616 and reconstructed in 1725. Attached to the convent is “Nossa Senhora da Vitória” (Our Lady of Victory), with its’ beautiful panel of tiles (17th century) depicting the miracles of Santo António;

– The “Igreja da Misericórdia” , constructed in 1536 exhibits an altar piece of Saint Isabel, and an image of Senhor dos Passos, said to be one of the most beautiful in the Azores;

– The “São Brás” Fort, constructed in defence of the town and the Santa Maria Museum which exhibits interesting works in weaving and pottery (Santo Espírito);

– The “Ermida de Nossa Senhora dos Anjos” (Our Lady of the Angels Chapel), in the village of “Anjos”, where Christopher Columbus’s crew prayed upon their return voyage after the discovery of America;

– The “Igreja da Nossa Senhora da Purificação” (Our Lady of Purification Church) in “Santo Espírito” with its’ baroque façade and country tiles from the XVI century is the most beautiful on the island;

– The Parochial churhes, Saint Peter’s and Almagreira and the chapels of “Nossa Senhora do Pilar” (Our Lady of “Pilar”) and “Nossa Senhora de Fátima” (Our Lady of Fatima), are religious sites of historical importance on the island.

Source: Destinazores

 

-Depois do adeus a São Miguel, e após uma viagem aérea de 52 milhas náuticas para sul, de cerca de 15 minutos, aterramos no aeroporto internacional da ilha de Santa Maria, a terceira mais pequena dos Açores – 92 km2.

 


Casa Típica

A primeira sensação é de paz e tranquilidade proporcionado pelo ambiente acolhedor, característico das ilhas açoreanas.
No campo paisagístico, Santa Maria apresenta uma paisagem marcada pelo contraste da planura da sua metade ocidental, onde se localizam o Aeroporto e as freguesias de Vila do Porto, São Pedro e Almagreira, e a outra metade oriental, muito mais acidentada, onde se encontram as freguesias de Santa Bárbara e Santo Espírito, e o ponto mais alto da ilha, o Pico Alto.
O clima pouco difere das outras ilhas, mas por ser a ilha mais a sul é a mais seca e solarenga, o que lhe confere uma maior amenidade em quaisquer das estações do ano.
Umas das particularidades mais marcantes é o seu povoamento disperso com o seu casario branco, de uma arquitectura popular típica, donde ressaltam, à vista, as chaminés que evocam a origem algarvia e alentejana dos primeiros povoadores.
Foi a primeira ilha a ser descoberta, em 1427, pelo navegador português, Diogo Silves, e também a primeira a ser povoada, tendo sido incumbido desta nobre tarefa o Comendador de Almourol, Frei Gonçalo Velho.

 


Baia de São Lourenço

Vila do Porto foi o primeiro burgo do arquipélago, e apresenta-se em duas partes distintas. A primeira, para baixo da Matriz, que mantém o traçado primitivo das suas ruas, de cariz medieval, a segunda, mais nova, para cima da Matriz, desenvolve-se ao longo de uma rua comprida e espaçosa com casario dos dois lados.
Espalhado pela ilha existe um interessante património arquitectónico, onde alguns dos seus elementos constituem marcos da história mariense e do povoamento das ilhas dos Açores, sendo de realçar:

– A Igreja da Nossa Senhora da Assunção, actual Matriz da Vila do Porto, cuja construção foi iniciada nos finais do século XV;

– O Convento de São Francisco, onde se encontram instalados alguns serviços públicos. Foi fundado em 1607, destruido pelos piratas em 1616 e reconstruido em 1725. Anexo a este está a Igreja de Nossa Senhora da Vitória, com um painel de azulejos de muito valor, do século XVII, representando milagres de Santo António.

– A Igreja da Misericórdia, de construção anterior a 1536, onde se encontra um retábulo de Santa Isabel, e a imagem do Senhor dos Passos, uma das mais bonitas dos Açores;

– O Forte de São Brás, edificado para defesa da Vila e o Museu de Santa Maria, em Santo Espírito, que reune interessantes trabalhos da teclagem e olaria locais;

– A Ermida de Nossa Senhora dos Anjos, no lugar dos Anjos, onde a tripulação de Cristovão Colombo rezou, no regresso da sua viagem em que descobriu a América;

– A Igreja de Nossa Senhora da Purificação, em Santo Espírito, com a sua fachada barroca e campanário azulejado, é o mais belo templo da ilha. A sua construção remonta ao século XVI;

– As Igrejas paroquiais de São Pedro, e Almagreira, as Ermidas de Nª Senhora do Pilar e de Nª Senhora de Fátima são interessantes templos da história religiosa da ilha.

Fonte: Destinazores

 

 

Homepage


<